Gama nunca perdeu jogo de final do Candangão para o Brasiliense

22/04/2019

Pela quarta vez na história, Gama e Brasiliense disputaram uma final de Campeonato Candango e, com uma vitória e um empate, o alviverde levou a taça. Nas outras três disputas, o alviverde levou dois títulos e perdeu um, porém, no histórico das partidas, carrega um número positivo, sem derrotas para o arquirrival.

 

A primeira final: O pentacampeonato

Em 2001, o alviverde não fez uma boa campanha na primeira fase do Candangão e chegou na final contra o Brasiliense, estreante na competição, em desvantagem – o adversário jogava pelo empate na soma das partidas.

Apesar disso, o Gama não deu chances ao adversário. Na primeira partida, no estádio Bezerrão, Abimael, Rodriguinho e Lindomar abriram três gols de diferença para o alviverde, porém a partida terminou em 3 a 2. Na volta, no estádio Serejão, Alessandro Bocão e Rodrigão marcaram os gols da virada que garantiram o título, em mais uma vitória, dessa vez por 2 a 1. Foi o pentacampeonato do Gama.

 

Goleada no Bezerrão e título invicto

No ano de 2003, os arquirrivais voltaram a se enfrentar na final. Assim como em 2019, ambas as equipes foram as duas primeiras colocadas na primeira fase, com o alviverde sendo o melhor e também chegara à final sem nenhuma derrota.

Dessa vez com a vantagem de um empate na soma dos resultados, o alviverde não ficou atrás e partiu para cima na primeira partida, no estádio Serejão. Com um gol de placa, em que deixa quatro marcadores para trás, o volante Goeber abriu o placar, porém, o folclórico Túlio Maravilha, com um gol de mão, empatou a partida.

Na volta, no Bezerrão abarrotado de alviverdes, não teve vez para o arquirrival. Logo aos três minutos, Luciano Fonseca cobrou falta na cabeça de Nen, que marcou o primeiro gol.

Aos 27, novamente Luciano Fonseca deu o passe, agora para Leonardo Manzi, artilheiro do alviverde naquele campeonato, marcar o segundo. Seis minutos depois, o atacante marcou mais um. O primeiro tempo terminou em 3 a 1 para o Gama, pois Wellington Dias diminuiu.

Na segunda etapa, já aos 38 do segundo tempo, veio o tiro de misericórdia. O zagueiro Emerson – o mesmo que está hoje no clube – fez bela jogada e passou para Rodriguinho marcar. Final: Gama 4 a 1.

 

Título perdido pelo regulamento

Em 2011, após várias dificuldades, o alviverde chegou à final contra o Brasiliense. O arquirrival tinha a vantagem do empate na soma dos resultados e a usou para conquistar o título.

O Gama esteve bem próximo de conquistar a taça. Na primeira partida, com o Bezerrão completamente lotado, a equipe saiu na frente com gol de Hugo, mas sofreu o empate no final da partida.

Na segunda partida, o alviverde esteve novamente bem, com boas chances para marcar o gol que seria o da vitória e do título, mas parou na defesa amarela. O confronto não saiu do zero.

 

Mais um título invicto com show no Mané Garrincha

Desde 2013, a final do Candangão é disputada no estádio Mané Garrincha. O confronto nunca havia sido definido entre os maiores clubes do Distrito Federal – até 2019.

No primeiro confronto, quase 10 mil pagantes viram o Gama abrir uma boa vantagem rumo ao título. Victor Xavier, Jefferson Maranhão e Emerson marcaram os gols da vitória por 3 a 1 – Badhuga diminuiu para o lado amarelo.

Na volta, 15 mil pagantes viram o Gama de 2019 fazer história. Com gols de Tarta e Gilsinho, o Gama abriu 2 a 0 rumo ao título. Platini e Maikon Leite empataram, mas de nada adiantou para estragar a festa alviverde.

Pela terceira vez na história, o Gama foi campeão candango invicto – a segunda em cima do arquirrival –, se tornando o clube com mais títulos invictos candangos na história, ao lado do Brasília.

O elenco campeão em 2019 foi responsável pela melhor campanha da história do alviverde no Candangão, com o impressionante aproveitamento de 88,3% - 14 vitórias e 3 empates. Além disso, a campanha do Gama em 2019, foi a melhor do século, desde o CFZ campeão em 2002 um clube não conseguia um aproveitamento acima de 80%.

 

FICHA TÉCNICA – GAMA X BRASILIENSE (FINAIS DE CANDANGÃO)

GAMA 3X2 BRASILIENSE – CANDANGÃO 2001 – ESTÁDIO BEZERRÃO

BRASILIENSE 1X2 GAMA – CANDANGÃO 2001 – ESTÁDIO SEREJÃO

BRASILIENSE 1X1 GAMA – CANDANGÃO 2003 – ESTÁDIO SEREJÃO

GAMA 4X1 BRASILIENSE – CANDANGÃO 2003 – ESTÁDIO BEZERRÃO

GAMA 1X1 BRASILIENSE – CANDANGÃO 2011 – ESTÁDIO BEZERRÃO

BRASILIENSE 0X0 GAMA – CANDANGÃO 2011 – ESTÁDIO SEREJÃO

GAMA 3X1 BRASILIENSE – CANDANGÃO 2019 – ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA

BRASILIENSE 2X2 GAMA – CANDANGÃO 2019 – ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA

 

ESTATÍSTICAS

VITÓRIAS – 4

EMPATES – 4

DERROTAS – 0

GOLS FEITOS – 16

GOLS SOFRIDOS – 9

 

Por Gabriel Caetano/Fértil Comunicação