CAMPEÃO DO SÉCULO: Gama de 2019 é o melhor da história recente do Candangão

21/04/2019

O Gama conquistou a 12ª taça de sua história, nesse sábado. Com o título, o alviverde, maior campeão candango, aumentou a distância para o arquirrival – 12 a 9. O elenco campeão em 2019 entrou para a história não só pelo título, mas pelas marcas que alcançou e a quantidade de recordes que quebrou.

 

O Campeão do Século

A campanha do Gama foi muito atípica para o cenário habitual do Candangão nesse século, principalmente nessa década. Vivendo um equilíbrio de vários anos – um campeão não se repete por dois anos seguidos desde 2009 –, os campeões do Candangão tiveram uma média entre 60 e 70% de aproveitamento, chegando a ter clubes levando a taça com aproveitamento abaixo da casa dos 60%. Foi o caso do Ceilândia campeão em 2010 (51,6% - pior aproveitamento entre todos os campeões candangos da história).

O Gama de 2019, com 14 vitórias e 3 empates, é disparado o clube com maior aproveitamento na história recente do Candangão. Veja o TOP 5 dos “campeões do século”:

 

CAMPEÃO / ANO

APROVEITAMENTO

MÉDIA DE GOLS

GAMA 2019

88,3% (INVICTO)

2

CFZ 2002

82,1% (INVICTO)

2,23

BRASILIENSE 2006

78,6%

2,07

GAMA 2003

77,8% (INVICTO)

1,93

BRASILIENSE 2005

77%

2,31

 

O maior campeão candango invicto

Com o título candango de 2019, o Gama se juntou ao Brasília no topo dos campeões invictos. Além da taça desse ano, o alviverde levou o título de forma invicta nos anos de 1999 e 2003.

Gama e Brasília tem três títulos invictos na história, enquanto o Rabello tem um no campeonato profissional e outro no amador, assim como o Colombo, campeão em 1971, levou o título invicto na era amadora. Os outros campeões invictos já levaram a taça na era profissional: são eles CFZ e Luziânia.

 

O melhor Gama da história do Candangão

Antes do título candango de 2019, as duas melhores campanhas do Gama haviam sido justamente os títulos invictos, sendo a conquista de 1999 a melhor campanha – aproveitamento de 78,8%. Com o empate no segundo jogo da final, o Gama campeão em 2019 alcançou a impressionante marca de 14 vitórias e 3 empates em 17 partidas, com aproveitamento de 88,3%.

 

CAMPANHAS DO GAMA NOS TÍTULOS CANDANGOS

CAMPEÃO / ANO

APROVEITAMENTO

MÉDIA DE GOLS POR PARTIDA

GAMA 2019

88,3%.

2

GAMA 1999

78,8% (INVICTO)

2

GAMA 2003

77,8% (INVICTO)

1,93

GAMA 1998

75%

1,91

GAMA 1990

75%

1,61

GAMA 1994

72,7%

1,77

GAMA 1979

70,6%

1,94

GAMA 2000

66,7%

1,90

GAMA 2015

66,7%

1,12

GAMA 1997

65,2%

2,04

GAMA 2001

59,1%

1,54

GAMA 1995

58,9%

1,2

 

Ataque Imponente; Defesa instransponível

O Gama, além de campeão invicto, também garantiu o melhor ataque e a melhor defesa. Na frente, o alviverde marcou incríveis 34 gols, uma média de dois por jogo, sendo que dos jogadores titulares na grande final, apenas o volante Wagner não marcou gols no campeonato, o jogador não foi titular todas as partidas, alternou com Tiago Gaúcho – que marcou um gol. A média de dois gols por jogo não foi vista em um campeão nessa década – desde 2009 um campeão não consegue essa façanha.

Além da façanha, o Gama alcançou o melhor ataque da primeira fase do Candangão, desde que ela é disputada no atual formato, com 11 jogos na primeira fase – 2014 até os dias de hoje. O Gama de 2019, com 23 gols em 11 partidas da primeira fase, superou o Gama de 2018, que marcou 22 gols e detinha o recorde.

Na defesa, o alviverde sofreu 9 gols em 17 partidas, uma incrível média de 0,52 gols sofridos. Um recorde pessoal para o zagueiro Emerson que, pela terceira vez, chegou a marca vestindo a camisa do Gama. O zagueiro fez parte da defesa menos vazada em 2003 – quando também foi campeão invicto –, 2004 e agora, em 2019.

 

Por Gabriel Caetano/Fértil Comunicação