Tarta: “Darei o sangue dentro de campo para dar calendário ao Gama”

13/02/2019

O Gama vive um momento excepcional no Candangão. Sem ter sofrido nenhum gol, o alviverde venceu suas quatro partidas até agora e lidera o campeonato. A equipe tem ainda o melhor ataque da competição, com 11 gols marcados.

A boa fase dos atacantes alviverdes tem grande influência nesse sucesso ofensivo, onde os três titulares nas quatro partidas já deixaram o seu – Jefferson Maranhão é, inclusive, o artilheiro do campeonato, com 4 gols. Porém, não está só no ataque a grande marca alviverde para colocar a bola para dentro.

O artilheiro das bolas paradas

Com três gols, o volante Tarta está mostrando também toda sua desenvoltura para colocar a bola nas redes. Sua especialidade? Cobrança de faltas.

As três vezes que marcou nesse Candangão foram em cobranças de falta, com uma curiosidade: todas foram em lugares diferentes do campo, ou seja, o jogador sabe bater bem na bola de qualquer lugar.

“Na pré-temporada eu treinava antes dos treinos com o professor (Vilson Tadei, técnico do Gama). Eu chegava mais cedo, pegava as bolas e a barreira e ficava sozinho lá no campo treinando”, fala o jogador, sobre sua rotina de treinamentos nas cobranças de falta. “Depois que acaba (o treino), ainda bato algumas faltas com o Calaça”, completou.

Sede por vitória

O volante de 26 anos, está em sua segunda passagem pelo Gama. Em 2018, o jogador mostrou também sua afinidade na hora de bater na bola. Com liberdade para subir, Tarta se tornou o elemento surpresa na equipe que disputou o Candangão do ano passado e foi o vice-artilheiro do clube, com quatro gols.

Na sua volta, o jogador é enfático quanto ao seu objetivo: “dar calendário ao Gama”. Com um autojulgamento bastante rigoroso, Tarta também deixa claro: “estou feliz por estar marcando gols importantes, mas ainda não está bom do jeito que eu quero e só vai estar bom mesmo, quando eu, junto ao grupo, conseguir dar um calendário para esse time”.

Grupo unido

Um dos pontos mais exaltados por Tarta é a união do grupo. “O grupo está bastante unido e o motivo principal de todos os jogadores e comissão é um só: dar calendário ao Gama”.

Pensando no futuro, o jogador fala ainda do que espera em relação ao desempenho do clube para o restante do campeonato: “O time está em evolução ainda e pelo que estou vendo no dia-a-dia, estou muito confiante de que vamos evoluir cada vez mais para atingir o objetivo que é ser campeão”.

Tarta ainda completou falando do que esperar daqui para frente, à medida que se aproximamos da metade do Candangão: “O campeonato vai se afunilando, todos querendo a liderança, agora nós vamos enfrentar clubes que estão entre os quatro primeiros, então vai começar a ser um campeonato mais difícil”. O jogador acredita que a união poderá ser um diferencial: “O grupo está focado, treinando firme e forte, então eu acredito que vamos chegar muito bem para o restante do campeonato”, completou.

Leia a entrevista de Tarta, na íntegra:

Em quatro jogos, você marcou três gols, todos de falta e sempre de um local diferente do campo. É um fundamento que você treina bastante?

Na pré-temporada eu treinava antes dos treinos com o professor (Vilson Tadei, técnico do Gama). Eu chegava mais cedo, pegava as bolas e a barreira e ficava sozinho lá no campo treinando. Depois que começou o campeonato, treino as faltas no decorrer do treinamento e depois que acaba, ainda bato algumas faltas com o Calaça.

Você é um mediador entre defesa e ataque, voltando para marcar e subindo para criar jogadas e, nessa função, se tornou um destaque aos olhos da torcida, marcando três gols. Fazendo uma autoanálise, o que você tem achado de seu desempenho nesses quatro jogos?

Sinceramente, eu sou rigoroso quando falo de mim. Eu acho que posso jogar mais do que estou jogando. Melhorar cada vez mais é o meu objetivo, fico feliz de estar marcando gols importantes e ajudando o Gama, mas ainda não está bom do jeito que eu quero e só vai estar bom mesmo, quando eu, junto ao grupo, conseguir dar um calendário para esse time.

E em relação ao atual momento do clube, o que tem achado do desempenho do Gama até agora?

Eu estou muito contente (com o desempenho do Gama). É claro, sempre temos o que melhorar, o time está em evolução ainda e pelo que estou vendo no dia-a-dia, estou muito confiante de que vamos evoluir cada vez mais para atingir o objetivo que é ser campeão.

Dentro e fora de campo, esse grupo do Gama mostra ser bastante unido e a torcida tem notado isso. A que se deve essa união e qual a importância dela?

O grupo realmente está bastante unido e o motivo principal, de todos os jogadores e comissão é um só: dar calendário para o Gama. Nós temos essa força de vontade, sabemos da história do Gama e conseguir chegar pelo menos na final é o que tem nos motivado.

O campeonato está chegando em um momento determinante e os jogos estão se tornando cada vez mais decisivos. Para você, o que esse grupo do Gama deve esperar para os próximos jogos?

Daqui para frente nós vamos encarar adversários cada vez mais difíceis. O campeonato vai se afunilando, todos querendo a liderança, agora nós vamos enfrentar clubes que estão entre os quatro primeiros, então vai começar a ser um campeonato mais difícil. O grupo está focado, treinando firme e forte, então eu acredito que vamos chegar muito bem para o restante do campeonato.

A torcida gamense sempre teve um papel importante em qualquer título conquistado na história do clube. Qual recado que você tem a passar para eles?

Eu acredito que a cobrança sempre tem de haver, quando decidi jogar pelo Gama eu sabia disso e é assim que nós (o elenco) temos mais sede de vitória. E deixo já um recado para a torcida: lotem sempre o Bezerrão, como vem sendo feito, nos apoie, pois precisamos da torcida e acreditem, da minha parte e de todo grupo não irá faltar garra e cada vez mais estaremos dispostos a dar o sangue por esse time para atingir nosso objetivo: o título.

 

Por Gabriel Caetano/Fértil Comunicação